top of page
  • Centro Brasileiro Inovação e Sustentabilidade

Centro Brasileiro Inovação e Sustentabilidade impulsiona uso do bambu na construção civil com apoio da nova norma ABNT NBR 17043





A recente normativa ABNT NBR 17043:2023, que estabelece diretrizes para o uso do bambu em aplicações estruturais, tem ganhado um forte aliado: o Centro Brasileiro de Inovação e Sustentabilidade - CEBIS.


Em uma virada significativa para a construção sustentável,esta normativa, alinhada à ABNT NBR 16828 e 16143, apresenta métodos rigorosos para colheita, tratamento e classificação das varas de bambu, promovendo uma abordagem técnica no setor da construção.


Iniciativas Sustentáveis na Colheita e Preparação do Bambu


Sob as orientações da ABNT NBR 17043:2023, o CEBIS enfatiza enfatiza a importância de selecionar colmos maduros, com idades variando entre 4 e 7 anos, garantindo a resistência e durabilidade necessárias para uso estrutural. O processo de corte, crucial para preservar a integridade do material, é rigorosamente detalhado para evitar danos, apodrecimento ou rachaduras, garantindo a qualidade do bambu desde sua origem.


Promoção de Tratamentos Preservativos Ecológicos


O CEBIS apoia a adoção de tratamentos preservativos que minimizam impactos ambientais, seguindo a norma. Essa iniciativa não só garante a preservação do bambu contra agentes biológicos, mas também alinha o uso do material com os princípios de construção verde. O tratamento preservativo, essencial para prevenir a degradação por agentes biológicos, é um dos pilares da norma. A seleção cuidadosa dos produtos preservativos, considerando aspectos como local de aplicação, legislação vigente, toxicidade e padrões de segurança, é vital para a eficácia e sustentabilidade do material.


Secagem e Armazenamento Orientados


A norma também estabelece procedimentos para secagem, seja natural ou em câmaras de secagem controladas, visando a redução do teor de umidade e aprimorando as propriedades estruturais do bambu. O armazenamento, longe da umidade e protegido da luz solar, é crucial para manter a qualidade do material até sua utilização.


A secagem, seja natural ou controlada, e o armazenamento adequado do bambu, conforme indicado pela norma, são práticas promovidas pelo CEBIS. Esses procedimentos são fundamentais para manter a qualidade do bambu, garantindo sua longevidade e eficácia em aplicações estruturais.


Classificação Precisa para Aplicações Estruturais


O CEBIS enfatiza a classificação das varas de bambu, conforme detalhado na ABNT NBR 17043:2023, para garantir sua adequação em diferentes projetos de construção. A classificação das varas de bambu, um aspecto crítico para garantir sua adequação em diferentes projetos, é meticulosamente mencionada na norma. Esse processo assegura que as varas de bambu atendam a padrões específicos de comprimento e diâmetro, essenciais para suas aplicações na construção civil.A padronização é vista como essencial para a integração eficaz do bambu no setor construtivo.


Com o apoio do Centro Brasileiro de Inovação e Sustentabilidade, a implementação da norma ABNT NBR 17A representa um marco para a indústria da construção civil, introduzindo práticas sustentáveis e rigorosas no uso do bambu. Este avanço não apenas promove a utilização de materiais mais sustentáveis, mas também abre novas possibilidades para projetos inovadores e ambientalmente responsáveis, solidificando o papel do bambu como um recurso valioso e renovável na construção moderna. está impulsionando o uso do bambu nas construções civis brasileiras. O CEBIS está na vanguarda, promovendo o bambu como um recurso sustentável e versátil, abrindo caminho para uma nova era de construções de baixo carbono.



146 visualizações

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page